domingo, 9 de março de 2008

E se o Estado quisesse ser uma destas empresas?


O Público de Sábado tráz uma edição especial sobre as 30 melhores empresas para se trabalhar em Portugal. No editorial, Paulo Ferreira alega que são os melhores que lá trabalham, e os outros sujeitam-se ao que há. Será uma visão, não direi completamente verdadeira, um pouco simplista até, mas que é uma visão muito início deste século. Não vou por aí. Vou por aquilo que move aquelas pessoas. As melhores são:

1. MICROSOFT 2. CUSHMAN & WAKEFIELD 3. DYNARGIE 4. LIBERTY SEGUROS
5. HEWLETT PACKARD PORTUGAL 6. BMW PORTUGAL 7. DIAGEO PORTUGAL
8. EVERIS PORTUGAL 9. IBIS /ACCOR 10. GMS CONSULTORES DE GESTÃO
11. MARS PORTUGAL INCORPORATED 12. XEROX PORTUGAL 13. SAS PORTUGAL
14. BRISTOL-MYERS SQUIBB 15. REAL SEGUROS 16. MONDIAL ASSISTANCE PORTUGAL
17. ACCENTURE 18. MAPFRE SEGUROS 19. RE/MAX PORTUGAL 20. PT CONTACT (Castelo Branco)
21. BACARDI-MARTINI PORTUGAL 22. MEDTRONIC PORTUGAL 23. DELOITTE
24. PRICEWATERHOUSECOOPERS 25. MARTIFER 26. PRIMEDRINKS 27. ATIVISM
28. JOSÉ JÚLIO JORDÃO 29. SCHENKER TRANSITÁRIOS 30. SISTEMAS MCDONALD'S PORTUGAL

Por segundos senti uma imensa "inveja" e saudade- e isto sim eu sei que é verdade, já por lá passei-das razões porque se gosta de trabalhar nesta empresas.

Deixo-vos aqui todas as razões apresentadas, e agora digam-me como será possível fazer reformas na função pública com as pessoas que a pensaram.

Leiam agora senhores funcionários públicos, os pontos fortes de cada uma delas, sob o ponto de vista de quem lá colabora:

· Ausência de descriminação
· Administração competente ética e honesta
· Regalias especiais e exclusivas
· Orgulho da empresa e do contributo da mesma para a comunidade
· Trabalho com significado especial e não só “emprego”
· Acolhimento
· Equilíbrio entre vida profissional e privada
· Orgulho na actividade
· Definição clara dos objectivos
· Comemoração de datas e acontecimentos especiais
· Horário de trabalho flexível
· Confiança na qualidade do trabalho
· Ambiente de trabalho agradável e amistoso
· Atribuição de responsabilidades
· Visão clara dos superiores quanto aos objectivos e meios
· Colaboração dos colegas
· Disposição para dar mais de si para concluir um trabalho
· Facilidade de comunicação com a administração

Consigo sentir que era uma reforma com estes objectivos que se devia fazer.

E sobretudo consigo sentir que não é com muitos dos que estão a preparar essas reformas, ou pelo menos lhes é pedida opinião, que se consegue isto. Não é de todo.

Eles nem sabem nem entendem do que se trata. Enfim, nada de diferente no reino de Portugal.
.

3 comentários:

sem-se-ver disse...

ler isto após ter vindo de uma manif que congregou o incrivel numero de 100.000 profs dos 140.000 que existem no país e ter tido a ministra da tutela a exclamar ser indiferente o número de pessoas descontentes porque só ela, detentora da verdade absoluta, sabe o que é melhor para a escola...

DÓI.

elle disse...

Já reparou que são quase todas multinacionais??? depreendem-se então que, não é uma questão de "pública ou privada"... é uma questão NACIONAL!!! este país de merceeiros ainda não percebeu que o principal capital de uma empresa é o humano.

Lá chegaremos. Daqui a 50 anos?!! (tou a ser optimista??)

bjocas

cs disse...

elle
poissssssss
o engraçado é ver a cara deles de salvadores da pátria.

as nacionais nenhuma é sonae e afins, onde o capital humano é tratado de forma grotesca.

Number of online users in last 3 minutes