quinta-feira, 10 de abril de 2008

Nina Simone& Les Amants du Pont-Neuf

6 comentários:

elle disse...

cszinha,
nao tenho qq intenção de a deixar... :)

cs disse...

elle

e faz vc mto bem, e eu cá fico toda vaidosa

marta disse...

Sou uma apaixonada de Brel, e esta é talvez, de todas as que Brel, compôs a que menos gosto.

Acho-a suportável, apesar disso, cantada por Brel, que o faz com uma imensa dignidade, mas por Nina Simone.......execrável.

Este poema tem alguns versos que pressupõem uma subordinação e uma humilhação, que no meu entender, não se coadunam com o amor.

"être l'ombre e t'on ombre, l'ombre de t'on chien"

cs disse...

Marta

é mais uma das apaixonadas por Brel. Que bom.
O Amor tem destas coisas, tanta gente a achar. Que bom.
O importante é mesmo , neste post, a história deste filme, a beleza deste cinema, o amor entre dois vagabundos .

Quanto á Nina, acho que gosto dela de qq maneira e nunca a acho execrável. Uma Deusa nunca é execrável.

Bjinho

sem-se-ver disse...

realmente, cs, sobre Amor todos achamos.

eu acho que esta é uma das suas melhores composições.

eu acho que toda a obra do Brel, a obra dedicada ao amor, é atravessada pela subordinação, humilhação, desespero, angústia, auto-anulação e para além (o oposto disto também, e quantas vezes numa mesma canção): porque ele fala sobre o Amor, exactamente.

acho ainda que o Amor não tem de ser autodestrutivo, mas que muitas vezes o é, e reconhecê-lo é mero exercício de lucidez (de que alguns têm vergonha, ao contrário de Brel).

acho que neste poema esse mesmo remate é o mais perfeito, seja do ponto de vista poético, seja do do tema, seja do do desespero de quem não quer, não suporta, não 'sobrevive' à partida do outro. é tão humilhante (ou nada humilhante) afirmar-se 'deixa-me ser a sombra do teu cão' como, antes, ter afirmado 'deixa-me ficar no canto a ver-te dançar e rir'. extremiza-se a imagem, mais pungente se torna o pedido. humilhação ou saber viver o Amor quando ele se torna triste e não correspondido?

acho que Brel a compôs, cantou e interpretou para dar voz a todos nós em momentos similares: sabemos que vão, mas não queremos que nos deixem. exprimimo-lo verbalmente ou calamo-lo no fundo de nós. mas o sentimento está lá. é ele que Brel tem a elevação de cantar desta maneira. porque quando o Amor é grande, não deve ser calado.

quanto a Nina Simone, é uma deusa. concordo. embora esta não seja, para mim, um dos seus momentos mais felizes. longe, contudo, de ser execrável.

e sim, cs, o seu post é sobre o filme. e que filme. e que amor...

desculpe ter-me alongado mas, sabe, sou uma apaixonada de Brel.

cs disse...

ssv

venha sempre com essa veia comentarista que eu adoro.
já agora....assino por baixo.

Number of online users in last 3 minutes